FAQ

Respostas as perguntas freqüentes

O que houve com o logotipo "RBC"?

Símbolo da Acreditação

Em 29 de março de 2006 através da Portaria INMETRO 73, foram regulamentados o Símbolo da Acreditação e a Marca da Acreditação (ver exemplos citados no Manual de uso da Logomarca -Acreditação de maio/2006, disponível no site do Inmetro)


Por que não é necessário solicitar cópias de certificados de padrões utilizados nos serviços realizados por laboratórios acreditados?

Extraído do documento DOQ-CGCRE-003 orientações sobre calibração e responsabilidade das medições em laboratórios de calibração e de ensaio - Revisão 02 - FEV/2010, disponível no site do INMETRO.

9.2 Elementos da Rastreabilidade das Medições

9.2.1 Para caracterizar a rastreabilidade de uma medição, não é suficiente que o laboratório calibre seus equipamentos e disponha dos certificados de calibração correspondentes. É preciso ir além disso, pois um certificado de calibração não fornece, necessariamente, informações sobre a competência dos laboratórios que realizam as calibrações que formam a cadeia de rastreabilidade. É preciso que se considere também alguns outros elementos que são essenciais para que se possa afirmar que o resultado de uma medição é rastreável a um padrão nacional ou internacional.

9.2.2 A ABNT NBR ISO/IEC 17025 estabelece os requisitos de competência para laboratórios de calibração e de ensaio. Sua implementação é imprescindível para laboratórios que desejam assegurar, além da confiabilidade do seu sistema de gestão, sua competência para as calibrações e ensaios que realiza. O instrumento que permite que esta competência seja assegurada é a acreditação de laboratórios, concedida por um organismo oficial que trabalhe de acordo com requisitos e práticas internacionais.

9.2.3 No campo da acreditação de laboratórios, a Cgcre é signatária dos Acordos de Reconhecimento Mútuo da ILAC e da IAAC, e do Acordo Bilateral de Reconhecimento Mútuo com a EA. Estes Acordos estabelecem requisitos para rastreabilidade das medições que devem ser implementados pelos organismos de acreditação signatários destes Acordos. Estes requisitos constam do documento ILAC P10, que pode ser acessado em www.ilac.org e estão refletidos na política de rastreabilidade estabelecida pela Cgcre no documento NIT-DICLA-030.

9.2.4 Calibrações realizadas por laboratórios que mantêm apenas certificação do sistema da qualidade segundo a ISO 9000 não podem ser aceitas como evidência de rastreabilidade, pois esta certificação não abrange a comprovação técnica específica para realização das calibrações.

10.1.3 A rastreabilidade a um padrão nacional é evidenciada por meio da apresentação de certificados de calibração com o Símbolo da Acreditação para laboratórios de calibração, emitidos somente por laboratórios acreditados pela Cgcre. Uma organização que possua certificados de calibração dos seus padrões e equipamentos de medição com essa marca, tem a garantia de que as calibrações neles descritas são rastreáveis a padrões nacionais.

13.2.2 Os certificados de calibração que apresentam o Símbolo da Acreditação de um dos laboratórios citados no item 9 deste documento, asseguram a rastreabilidade a um padrão nacional ou internacional.

13.2.3 No Brasil, o Símbolo da Acreditação para laboratórios de calibração, emitida somente por laboratórios acreditados pela Cgcre, está definida na NIE-CGCRE-009.

Por que os laboratórios acreditados não necessitam certificação ABNT NBR ISO9001?

Extraído da ABNT NBR 17025:2005—Requisitos gerais para a competência de laboratórios de ensaio e calibração

“Os laboratórios de calibração e ensaio que atendam a esta Norma, portanto, operarão também de acordo com a ABNT NBR ISO 9001.

A conformidade do sistema de gestão da qualidade sob o qual o laboratório opera com os requisitos da ABNT NBR ISO 9001 por si só não demonstra a competência do laboratório para produzir dados e resultados tecnicamente válidos. A conformidade demonstrada com esta Norma também não implica conformidade do sistema de gestão da qualidade sob o qual o laboratório opera com todos os requisitos da ABNT NBR ISO 9001.”

“1.4 Esta Norma deve ser utilizada por laboratórios no desenvolvimento do seu sistema de gestão para qualidade, operações técnicas e administrativas. Clientes de laboratórios, autoridades regulamentadoras e organismos de acreditação podem também usá-la na confirmação ou no reconhecimento da competência de laboratórios. Esta Norma não tem como propósito ser usada como a base para a certificação de laboratórios.”

“1.6 Se os laboratórios de calibração e ensaios atenderem aos requisitos desta Norma, eles operarão um sistema de gestão da qualidade para as suas atividades de ensaio e calibração que também atende aos princípios da ABNT NBR ISO 9001. O anexo A contém a matriz de correlação entre esta Norma e a ABNT NBR ISO 9001. Esta Norma contempla requisitos de competência técnica que não são contemplados pela ABNT NBR ISO 9001.”

Por que os calibradores crescem?

Tratamento térmico

O crescimento dos calibradores é mais notados quanto maiores as peças. Isso acontece devido às tensões internas provocadas pelo tratamento térmico. À medida que o tempo passa, há uma tendência de relaxamento das moléculas, o que causa uma expansão do material. Quanto maior o calibrador e quanto mais apertada a tolerância, mais se nota o crescimento.

Nos calibradores menores, este crescimento pode ser confundido com as diferenças devido às incertezas de medição ou devido ao fato das medições terem sido realizadas por laboratórios ou operadores diferentes.

Este fenômeno pode ser minimizador com o devido tratamento de envelhecimento.


Depósito de material

Quando pequenas partículas do material inspecionado aderem à superfície do calibrador, pode haver um crescimento. Alguns materiais, como aço inoxidável e alumínio favorecem a adesão no calibrador. Pequenas quantidades de material podem ser transferidas de várias formas:

Atrito, que ocorre quando :

● A rosca é usinada muito próxima da condição de máximo material.

● O calibrador é utilizado sem lubrificação, o óleo de corte não é um lubrificante de calibradores. Um filme de óleo lubrificante aplicado no calibrador não é suficiente para afetar a medição.

● O passo da rosca é fino, fazendo com que o calibrador dê várias voltas até completar o comprimento da rosca



Resíduos

O processo de usinagem pode deixar alguns resíduos nos furos roscados. Se estes resíduos não forem removidos, podem ficar soldados na superfície ou prender-se no fundo da rosca do calibrador.


Rebarbas

As rebarbas podem aderir-se à superfície do calibrador

Fonte: Gage Crib Worldwide,Inc.